Pages

19 de setembro de 2008

2001_Revolução_Industrial

As condições gerais de trabalho nos primeiros anos da Revolução Industrial eram, notadamente, as mais degradantes possíveis. A exploração em larga escala do trabalho infantil e feminino, a falta de segurança em determinados setores de produção (sobretudo mineração de carvão), as doenças específicas e deformidades físicas e a baixa expectativa de vida faziam parte do cotidiano dos trabalhadores à época da consolidação do mundo capitalista.

1. De que maneira o desenvolvimento do capitalismo industrial modificou a concepção de trabalho operário?

2. Como o sistema de fábricas modificou o cotidiano dos trabalhadores?

PROIBIDO "COPIAR" E "COLAR"

30 comentários:

jessica Soares disse...

1)a concepção do capitalismo se baseava na alta produtividade, o mercado consumidor se ampliava e eles necessitavam de que os operarios trabalhassem muito, para produzir cada vez mais e mais para poder atender ao mercado.Na verdade a revolução industrial mostra o seu verdadeiro objetivo. ela era mais umas das revoluções burguesas.Afinal a sua meta era unicamente lucrar a qualquer custo.
2) As fabricas lhe ofereciam pessimas condições de trabalho,salarios baixos,muito barulho,trabalho infantil e feminino(e preferiam ate crianças e mulheres pois trabalhavam iguais aos homens e recebiam menos pelo fato de ser criança e mulher)carga horaria puxada,poluição e maus tratos.Fazendo com que a classe operaria se revoltasse com sua sintuação.Surgindo varios sindicatos,e muitas represalias...tanto das fabricas para os operarios,quanto dos operarios para a fabrica.

cristiane e karuliny disse...

a substituiçao das ferramentas maquina,da energis humana pela energia motriz e do modo de produçao domestico pelo sistema fabril constitui a estrutura da sociedade num processo de tranformaçao acompanhado por notavel evoluçao tecnologica a revoluçao industrial consistiu no processo produtivo em nivel economico e social iniciada na inglaterra em meados do seculo XVIII expandiu-se pelo mundo a parti do seculo XIX ao longo do processo [que de acordo com alguns autores se registra ate aos nossos dias a era agricula foi superada, a maquina foi suplantando o trabalho humana foi suplantado o trabalho humano,uma nova relaçao entre capital e trabalho se impos novas relaçao entre naçoes se estabelecem e surgiu o fenomeno da cultura massa;entre outros .
2-as fabricas do inicio da revoluçao industrial nao apresentavam o melhor dos ambiente de trabalho.as condiçoes das fabricas eram precarias.eram ambientes com pessima iluminaçao,abafados e sujos a revoluçao tornou os metodos de produçao mais eficais.os produtos passaram a ser produzidos maiss rapidamente na area de transporte;podemos destacar a invençao das locomotivas a vapor maria fumaça e os trens a vapor.

Lorenna Werneck disse...

Os senhores donos das máquinas contratavam os artesãos forneciam a matéria prima,então esses mesmos artesãos operavam as máquinas mas quem recebia todo o lucro final eram os donos das máquinas os trabalhadores eram brutalmente explorados.

Thais Paula Ribeiro disse...

A revoluçao industrial teve inicio no seculo XVIII,vizando uma forma de aumentar sua produtividade e queriam crescer sem gastar muito com mao de obra,explorando os trabalhadores.devido a exploraçao salarial e suas condiçoes de vida pessima os trabalhadores começaram a criar sindicatos e fazer reuniões na tentativa de melhoras.eles trabalhavm muito e ganhava pouco,por isso muitos matinham uma vida miseravel!.

paulo cesar pinto disse...

Com a revoluçao industrial os trabalhadores perderam grande partes dos lucros porque passaram a trabalhar para patrão e com isso passaram a comandar as maquinas que era fornecida pelos donos das fabricas e com isso sua renda foi caindo e com isso se tornaram maquinofatura
2;no começo da revoluçao industrial a condiçao de trabalho era a mais precaria possivel o ambiente de trabalho era muito desfavoravel era um lugar sujo e sem iluminaçao possivel para trabalhar,eram obriagados a trabalhar 18 horas por dia e recibiam um pequeno salario que nao dava pra sustentar sua familia, trabalhavam sem parar nao tinham ferias e nem feriados e trabalhavam ate em finais de semana

Jéssica Eduarda disse...

1)Com revolução industrial os trabalhadores perderam o controle e passaram a trabalhar para uotras pessoas(os patrães) com isso eles perderam todo o lucro que tinham quando eles tinham o propria materia-prima.Os trabalhadores não tinham a minima ideia da riqueza que eles estavam produzindo para seus pratões e eles mesmo estavam recebendo salario minimo.O trabalho do operário era muito diferente do trabalho do camponês: tarefas monótonas e repetitivas.A vida na cidade moderna significava mudanças incessantes.A cada instante,surgiam novas máquinas, novos produtos,novos gostos,novas modas.

Olavo disse...

1)Na revolução industrial os trabalhadores perderam o controle do processo produtivo e passaram a trabalhar para um patrão.Sendo muito explorado de maneira que não tinham direito de manusear suas materias primas controlando apenas as maquinas que pertenciam aos patrões.

2)Os trabalhadores que tinham o costume de usar apenas instrumentos manuais e com a revolução industrial eles passaram a mexer com as maquinas mudando sua rotina de trabalho

Elias disse...

1.na rev. industrial os operários perderam o poder dos meios de produção e passaram a trabalhar para um patrão,perdendo a posse da matéria prima e do lucro final.Eles controlavam as maquinas que pertenciam aos patrões.Eles eram muito explorados eles viviam em condições horríveis O salário era muito baixo em torno de 2.5 vezes o nível de necessidade e tanto mulheres como crianças também trabalhavam, recebendo um salário ainda menor.a jornada de trabalho era imensa cerca de 80 horas por semana.
2.eles tiveram de mudar para os grandes centros industriais vivendo em situações precarias

Luísa disse...

Com a Revolução Industrial,a qualidade das relações de trabalho no ambiente manufatureiro se transformou de um modo sensivel.antes,os artesão se agrupavão no mei ambiente da corporação,para produzirem todos os produtos manufaturados,todos os artesãos dominavão integralmente as etapas do processo de produção de um determinado produto.
Dessa maneira,o trabalho não tinha mais ciência do valor da riqueza por ele produzida.Ele passou a receber um salário pelo qual era pago para exercer uma determinada função que,nem sempre,correspondia ao valor daquilo que ele era capaz de produzir.

Elias Soares disse...

1.na rev. industrial os operários perderam o poder dos meios de produção e passaram a trabalhar para um patrão,perdendo a posse da matéria prima e do lucro final.Eles controlavam as maquinas que pertenciam aos patrões.Eles eram muito explorados eles viviam em condições horríveis O salário era muito baixo em torno de 2.5 vezes o nível de necessidade e tanto mulheres como crianças também trabalhavam, recebendo um salário ainda menor.a jornada de trabalho era imensa cerca de 80 horas por semana.
2.eles tiveram de mudar para os grandes centros industriais vivendo em situações precarias
nos suburbios ate as criancas tinham de trabalhar e ficar ate 16 horas por dia nas fábricas

Jéssica Eduarda disse...

2)Antes das industralização os trabalhodores trabalhavam praticamente em casa hoje em dia eles trabalham nas fabricas e trabalham o dobro e ganham menos que quando eles trabalhavam em casa pro conta propria. Antes de trabalhar nas frabricas eles ja mexiam com maquinas mais eram maquinas simples, mas quando passaram nas frabicas eles começaram a trabalhar apenas com maquinas maiores que as que eles tinham em casa...

jessica soares disse...

Pioneirismo Inglês

Foi a Inglaterra o país que saiu na frente no processo de Revolução Industrial do século XVIII. Este fato pode ser explicado por diversos fatores. A Inglaterra possuía grandes reservas de carvão mineral em seu subsolo, ou seja, a principal fonte de energia para movimentar as máquinas e as locomotivas à vapor. Além da fonte de energia, os ingleses possuíam grandes reservas de minério de ferro, a principal matéria-prima utilizada neste período. A mão-de-obra disponível em abundância (desde a Lei dos Cercamentos de Terras ), também favoreceu a Inglaterra, pois havia uma massa de trabalhadores procurando emprego nas cidades inglesas do século XVIII. A burguesia inglesa tinha capital suficiente para financiar as fábricas, comprar matéria-prima e máquinas e contratar empregados. O mercado consumidor inglês também pode ser destacado como importante fator que contribuiu para o pioneirismo inglês.

Avanços da Tecnologia

O século XVIII foi marcado pelo grande salto tecnológico nos transportes e máquinas. As máquinas à vapor, principalmente os gigantes teares, revolucionou o modo de produzir. Se por um lado a máquina substituiu o homem, gerando milhares de desempregados, por outro baixou o preço de mercadorias e acelerou o ritmo de produção.

Locomotiva: importante avanço nos meios de transporte

Na área de transportes, podemos destacar a invenção das locomotivas à vapor (maria fumaça) e os trens à vapor. Com estes meios de transportes, foi possível transportar mais mercadorias e pessoas, num tempo mais curto e com custos mais baixos.

A Fábrica

As fábricas do início da Revolução Industrial não apresentavam o melhor dos ambientes de trabalho. As condições das fábricas eram precárias. Eram ambientes com péssima iluminação, abafados e sujos. Os salários recebidos pelos trabalhadores eram muito baixos e chegava-se a empregar o trabalho infantil e feminino. Os empregados chegavam a trabalhar até 18 horas por dia e estavam sujeitos a castigos físicos dos patrões. Não havia direitos trabalhistas como, por exemplo, férias, décimo terceiro salário, auxílio doença, descanso semanal remunerado ou qualquer outro benefício. Quando desempregados, ficavam sem nenhum tipo de auxílio e passavam por situações de precariedade.

Reação dos trabalhadores

Em muitas regiões da Europa, os trabalhadores se organizaram para lutar por melhores condições de trabalho. Os empregados das fábricas formaram as trade unions (espécie de sindicatos) com o objetivo de melhorar as condições de trabalho dos empregados. Houve também movimentos mais violentos como, por exemplo, o ludismo. Também conhecidos como "quebradores de máquinas", os ludistas invadiam fábricas e destruíam seus equipamentos numa forma de protesto e revolta com relação a vida dos empregados. O cartismo foi mais brando na forma de atuação, pois optou pela via política, conquistando diversos direitos políticos para os trabalhadores.

Conclusão

A Revolução tornou os métodos de produção mais eficientes. Os produtos passaram a ser produzidos mais rapidamente, barateando o preço e estimulando o consumo. Por outro lado, aumentou também o número de desempregados. As máquinas foram substituindo, aos poucos, a mão-de-obra humana. A poluição ambiental, o aumento da poluição sonora, o êxodo rural e o crescimento desordenado das cidades também foram conseqüências nocivas para a sociedade. Até os dias de hoje, o desemprego é um dos grandes problemas nos países em desenvolvimento. Gerar empregos tem se tornado um dos maiores desafios de governos no mundo todo. Os empregos repetitivos e pouco qualificados foram substituídos por máquinas e robôs. As empresas procuram profissionais bem qualificados para ocuparem empregos que exigem cada vez mais criatividade e múltiplas capacidades. Mesmo nos países desenvolvidos tem faltado empregos para a população.

elias disse...

rev industrial:
DESDOBRAMENTOS SOCIAIS

A Revolução Industrial alterou profundamente as condições de vida do trabalhador braçal, provocando inicialmente um intenso deslocamento da população rural para as cidades, com enormes concentrações urbanas. A produção em larga escala e dividida em etapas irá distanciar cada vez mais o trabalhador do produto final, já que cada grupo de trabalhadores irá dominar apenas uma etapa da produção.Na esfera social, o principal desdobramento da revolução foi o surgimento do proletariado urbano (classe operária), como classe social definida. Vivendo em condições deploráveis, tendo o cortiço como moradia e submetido a salários irrisórios com longas jornadas de trabalho, a operariado nascente era facilmente explorado, devido também, à inexistência de leis trabalhistas.
O desenvolvimento das ferrovias irá absorver grande parte da mão-de-obra masculina adulta, provocando em escala crescente a utilização de mulheres a e crianças como trabalhadores nas fábricas têxteis e nas minas. O agravamento dos problemas sócio-econômicos com o desemprego e a fome, foram acompanhados de outros problemas, como a prostituição e o alcoolismo.





Os trabalhadores reagiam das mais diferentes formas, destacando-se o movimento "ludista" (o nome vem de Ned Ludlan), caracterizado pela destruição das máquinas por operários, e o movimento "cartista", organizado pela "Associação dos Operários", que exigia melhores condições de trabalho e o fim do voto censitário. Destaca-se ainda a formação de associações denominadas "trade-unions", que evoluíram lentamente em suas reivindicações, originando os primeiros sindicatos modernos.
O divórcio entre capital e trabalho resultante da Revolução Industrial, é representado socialmente pela polarização entre burguesia e proletariado. Esse antagonismo define a luta de classes típica do capitalismo, consolidando esse sistema no contexto da crise do Antigo Regime.

Anônimo disse...

Rev. Industrial Clique aqui =========== Pré-História ... Antropologia ... Arqueologia ... Dinossauros ... Paleontologia ========= Idade Antiga ... Egito ... Mesopotâmia ... Roma ... India ... Grecia ... China ========== Idade Média ... Igreja ... Cruzadas ... Feudalismo ... Legado ... Os bárbaros ... Os árabes ... Os Magno ========== Id. Moderna ... Renascimento ... Descobrimentos ... Colonização ... Américas ... Reforma ... Absolutismo ... Legado ========== Id. Contemp. ... Rev. Francesa ... Ind. Américas ... Rev. Industrial ... Socialismo ... Imperialismo ... Guerras ... Guerra Fria ... Dias Atuais ============ Dúvidas


100 anos de Indústria

A exposição "BH - 100 Anos de Indústria" busca retratar a trajetória do desenvolvimento industrial de Belo Horizonte, no ano de seu Centenário, resgatando imagens e informações sobre algumas das centenas de empresas que aqui se instalaram desde os primeiros anos da Comissão Construtora.

A máquina a vapor e a eletricidade

Resumo sobre a Revolução Industrial.

A Revolução Industrial

A Revolução Industrial ocorrida na Inglaterra, integra o conjunto das "Revoluções Burguesas" do século XVIII, responsáveis pela crise do Antigo Regime, na passagem do capitalismo comercial para o industrial. Os outros dois movimentos que a acompanham são a Independência dos Estados Unidos e a Revolução Francesa, que sob influência dos princípios iluministas, assinalam a transição da Idade Moderna para Contemporânea.

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

Usamos essa expressão para nos referirmos a todas as mudanças no trabalho industrial, que se deram a partir dos meados do século XVIII. A mais importante dessas alterações, ocorridas em primeiro lugar na Grã-Bretanha, foi a invenção de máquinas que produziam muito mais que o trabalho manual. As primeiras foram as máquinas de fiação e tecelagem.

A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL E SUAS CONSEQUÊNCIAS

A Revolução Industrial foi um fenômeno internacional, tendo acontecido de maneira gradativa, a partir de meados do século XVIII. A Revolução Industrial provocou mudanças profundas nos meios de produção humanos até então conhecidos, afetando diretamente nos modelos econômicos e sociais de sobrevivência humana.

História: A Revolução Industrial na Inglaterra

A Revolução Industrial do século 18 representou o momento de consolidação do capitalismo. Apesar de restrita à Inglaterra, ela foi responsável pela reordenação da economia mundial durante o século 19, pois representou a nova dinâmica capitalista, responsável por superar o mercantilismo.

O último samurai no Japão

Os japoneses afirmam que Saigo Takamori, morto aos 50 anos, em 1877, foi o derradeiro samurai, o último grande mestre-de-armas que, com a espada na mão, lutou até o fim para preservar os fundamentos marciais da casta guerreira. A ética do Bushido, o código do guerreiro, que ele representava, estava por desaparecer na avalanche da modernidade, provocada pelas reformas ocidentalizantes radicais adotadas pela Restauração Meiji (1867-1912).

olavo let's go disse...

Revolução Industrial
INTRODUÇÃO

A Revolução Industrial ocorrida na Inglaterra, integra o conjunto das "Revoluções Burguesas" do século XVIII, responsáveis pela crise do Antigo Regime, na passagem do capitalismo comercial para o industrial. Os outros dois movimentos que a acompanham são a Independência dos Estados Unidos e a Revolução Francesa, que sob influência dos princípios iluministas, assinalam a transição da Idade Moderna para Contemporânea.
Em seu sentido mais pragmático, a Revolução Industrial significou a substituição da ferramenta pela máquina, e contribuiu para consolidar o capitalismo como modo de produção dominante. Esse momento revolucionário, de passagem da energia humana para motriz, é o ponto culminante de uma evolução tecnológica, social, e econômica, que vinha se processando na Europa desde a Baixa Idade Média.

A) O PROCESSO DE PRODUÇÃO

Nessa evolução, a produção manual que antecede a industrial conheceu duas etapas bem definidas, dentro do processo de desenvolvimento do capitalismo:






O artesanato, foi a forma de produção característica da Baixa Idade Média, durante o renascimento urbano e comercial, sendo representado por uma produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão), possuía os meios de produção ( era o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalhava com a família em sua própria casa, realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento final; ou seja não havia divisão do trabalho ou especialização. Em algumas situações o artesão tinha junto a si um ajudante, porém não assalariado, pois realizava o mesmo trabalho pagando uma "taxa" pelo utilização das ferramentas.
É importante lembrarmos que nesse período a produção artesanal estava sob controle das corporações de ofício, assim como o comércio também encontrava-se sob controle de associações, limitando o desenvolvimento da produção.
A manufatura, predominou ao longo da Idade Moderna, resultando da ampliação do mercado consumidor com o desenvolvimento do comércio monetário. Nesse momento, já ocorre um aumento na produtividade do trabalho, devido a divisão social da produção, onde cada trabalhador realizava uma etapa na confecção de um produto. A ampliação do mercado consumidor relaciona-se diretamente ao alargamento do comércio, tanto em direção ao oriente como em direção à América, permanecendo o lucro nas mãos dos grandes mercadores. Outra característica desse período foi a interferência do capitalista no processo produtivo, passando a comprar a matéria prima e a determinar o ritmo de produção, uma vez que controlava os principais mercados consumidores.

A partir da máquina, fala-se numa primeira, numa segunda e até numa terceira e quarta Revolução Industrial. Porém, se concebermos a industrialização, como um processo , seria mais coerente falar-se num primeiro momento (energia a vapor no século XVIII), num segundo momento (energia elétrica no século XIX) e num terceiro e quarto momentos, representados respectivamente pela energia nuclear e pelo avanço da informática, da robótica e do setor de comunicações ao longo dos século XX e XXI, porém aspectos ainda discutíveis.

Jéssica Eduarda disse...

AS FASES DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL

A primeira fase da Revolução Industrial correspondeu ao período que se estende de 1760 a 1850; nesse período a Inglaterra liderou o processo de industrialização. O desenvolvimento técnico-científico, implementando a modernização econômica, foi significativo; surgiram então as primeiras máquinas feitas de ferro que utilizam o vapor como força motriz. Por outro lado, a existência de um amplo mercado consumidor para artigos industrializados - América, Ásia e Europa - estimulava a mecanização da produção.

Na primeira fase da Revolução Industrial, a indústria têxtil foi a que mais se desenvolveu. A grande oferta de matéria-prima (o algodão, cujo maior produtor era os Estados Unidos) e a abundância de mão-de-obra barateavam os custos da produção, gerando lucros elevados, os quais eram reaplicadas no aperfeiçoamento tecnológico e produtivo. Assim, também o setor metalúrgico foi estimulado, bem como a pesquisa de novas fontes de energia.

Algumas invenções foram de fundamental importância para ativar o processo de mecanização industrial, entre as quais podemos destacar:

* a máquina de Hargreaves (1767), capaz de fiar, sob os cuidados de um só operário, 80 kg de fios de algodão de uma só vez;

* o tear hidráulico de Arkwright (1768);

* a máquina Crompton, aprimorando o tear hidráulico (1779);

* o tear mecânico de Cartwright (1785);

* a máquina a vapor de Thomas Newcomen, aperfeiçoada depois por James Watt (1769);

* o barco a vapor de Robert Fulton (1805 - Estados Unidos);

* a locomotiva a vapor de George Stephenson (1814).

Para facilitar o escoamento da produção industrial e o abastecimento de matérias-primas, também os setores de transportes e comunicações tiveram que se modernizar. Surgiram o barco a vapor, a locomotiva, o telégrafo, o telefone, etc.

A expansão industrial logo ativaria a disputa por novos mercados fornecedores de matérias-primas e consumidores de gêneros industrializados resultando no que se denominou neo-colonialismo.

A segunda fase da Revolução Industrial iniciou-se em 1850. Foi quando o processo de industrialização entrou num ritmo acelerado, envolvendo os mais diversos setores da economia, com a difusão do uso do aço, a descoberta de novas fontes energéticas, como a eletricidade e o petróleo, e a modernização do sistema de comunicações.

Outro acontecimento de grande importância dessa fase foi a efetiva difusão da Revolução Industrial. Em pouco tempo, espalhou-se por todo o continente europeu e pelo resto do mundo, atingindo a Bélgica, a França, a Itália, a Alemanha, a Rússia, os Estados Unidos, o Japão, etc.

jhonatas disse...

1. o capitalismo revolucionou muito trabalhado . por que os operarios tinham que
trabalhar para produzir o que os seus patrões queria se não poderiam ser suspenso
do seu trabalho e as vezes nem recebia o salario que merecia um salario digno de seu trabalho.

jessica soares disse...

Na revolução industrial ocorreu que em sua "passagem de manufaturiera" para "maquinofatureira" transformou as relações em na verdade duas classes:Os empresários(capitalistas)e os trabalhadores(proletariado). Os empresários colocavam duras condições de trabalho para os assalariados,eles chegavam a cerca de 15 horas de jornada por dia!Surgindo assim os conflitos dos operários...Suas primeiras manifestações se constituiram em destrir máquinas e a própria fábrica, mas logo depois surgiram sindicatos.
Esta substituição de ferramentas por máquinas,e de energia humana por energia motriz só causou um forte impacto na sociedade, pois trazia a transição do feudalismo para o capitalismo.

cristiane e karuliny disse...

o proletariado ingles é fruto da revoluçao industrial ocorrida na segunda metade do seculo XVIII. Antes da introduçao das maquinas,a maioria dos trabalhadores moravam no campo onde ficavam e teciam em suas casas.eles admininstravam o processo de trabalho,podemos dispor de tempo para o descanso e cultivo da terra.na cidade o trabalho,nas fabricas era exasltivo,com jornada de ate 16horas e labuta diaria.na sociedade inglesa dos seculo XVII,XVIII,XIX os trabalhadores sao considerados menbro inferiores,obrigados ao trabalho e afastado da politica.a questao que se faz latente nas descursao da vida do trabalhador ingles do seculo XIX reside no fato da melhora ou nao da sua condiçao de vida.

Anônimo disse...

Introdução

A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores lucros, menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias. Também podemos apontar o crescimento populacional, que trouxe maior demanda de produtos e mercadorias.Pioneirismo Inglês

Foi a Inglaterra o país que saiu na frente no processo de Revolução Industrial do século XVIII. Este fato pode ser explicado por diversos fatores. A Inglaterra possuía grandes reservas de carvão mineral em seu subsolo, ou seja, a principal fonte de energia para movimentar as máquinas e as locomotivas à vapor. Além da fonte de energia, os ingleses possuíam grandes reservas de minério de ferro, a principal matéria-prima utilizada neste período. A mão-de-obra disponível em abundância (desde a Lei dos Cercamentos de Terras ), também favoreceu a Inglaterra, pois havia uma massa de trabalhadores procurando emprego nas cidades inglesas do século XVIII. A burguesia inglesa tinha capital suficiente para financiar as fábricas, comprar matéria-prima e máquinas e contratar empregados. O mercado consumidor inglês também pode ser destacado como importante fator que contribuiu para o pioneirismo inglês.

Avanços da Tecnologia

O século XVIII foi marcado pelo grande salto tecnológico nos transportes e máquinas. As máquinas à vapor, principalmente os gigantes teares, revolucionou o modo de produzir. Se por um lado a máquina substituiu o homem, gerando milhares de desempregados, por outro baixou o preço de mercadorias e acelerou o ritmo de produção

remersom disse...

Introdução

A Revolução Industrial teve início no século XVIII, na Inglaterra, com a mecanização dos sistemas de produção. Enquanto na Idade Média o artesanato era a forma de produzir mais utilizada, na Idade Moderna tudo mudou. A burguesia industrial, ávida por maiores lucros, menores custos e produção acelerada, buscou alternativas para melhorar a produção de mercadorias. Também podemos apontar o crescimento populacional, que trouxe maior demanda de produtos e mercadorias.Pioneirismo Inglês

Foi a Inglaterra o país que saiu na frente no processo de Revolução Industrial do século XVIII. Este fato pode ser explicado por diversos fatores. A Inglaterra possuía grandes reservas de carvão mineral em seu subsolo, ou seja, a principal fonte de energia para movimentar as máquinas e as locomotivas à vapor. Além da fonte de energia, os ingleses possuíam grandes reservas de minério de ferro, a principal matéria-prima utilizada neste período. A mão-de-obra disponível em abundância (desde a Lei dos Cercamentos de Terras ), também favoreceu a Inglaterra, pois havia uma massa de trabalhadores procurando emprego nas cidades inglesas do século XVIII. A burguesia inglesa tinha capital suficiente para financiar as fábricas, comprar matéria-prima e máquinas e contratar empregados. O mercado consumidor inglês também pode ser destacado como importante fator que contribuiu para o pioneirismo inglês.

Avanços da Tecnologia

O século XVIII foi marcado pelo grande salto tecnológico nos transportes e máquinas. As máquinas à vapor, principalmente os gigantes teares, revolucionou o modo de produzir. Se por um lado a máquina substituiu o homem, gerando milhares de desempregados, por outro baixou o preço de mercadorias e acelerou o ritmo de produção

remersom celebridade disse...

Em muitas regiões da Europa, os trabalhadores se organizaram para lutar por melhores condições de trabalho. Os empregados das fábricas formaram as trade unions (espécie de sindicatos) com o objetivo de melhorar as condições de trabalho dos empregados. Houve também movimentos mais violentos como, por exemplo, o ludismo. Também conhecidos como "quebradores de máquinas", os ludistas invadiam fábricas e destruíam seus equipamentos numa forma de protesto e revolta com relação a vida dos empregados. O cartismo foi mais brando na forma de atuação, pois optou pela via política, conquistando diversos direitos políticos para os trabalhadores.

Conclusão

A Revolução tornou os métodos de produção mais eficientes. Os produtos passaram a ser produzidos mais rapidamente, barateando o preço e estimulando o consumo. Por outro lado, aumentou também o número de desempregados. As máquinas foram substituindo, aos poucos, a mão-de-obra humana. A poluição ambiental, o aumento da poluição sonora, o êxodo rural e o crescimento desordenado das cidades também foram conseqüências nocivas para a sociedade. Até os dias de hoje, o desemprego é um dos grandes problemas nos países em desenvolvimento. Gerar empregos tem se tornado um dos maiores desafios de governos no mundo todo. Os empregos repetitivos e pouco qualificados foram substituídos por máquinas e robôs.

Remerson Antonio disse...

A Revolução Industrial foi responsável por inúmeras mudanças que podem ser avaliadas tanto por suas características negativas, quanto positivas. Alguns dos avanços tecnológicos trazidos por essa experiência trouxeram maior conforto à nossa vida. Por outro lado, a questão ambiental (principalmente no que se refere ao aquecimento global) traz à tona a necessidade de repensarmos o nosso modo de vida e a nossa relação com a natureza. Dessa forma, não podemos fixar o modo de vida urbano e integrado à demanda do mundo industrial como uma maneira, um traço imutável da nossa vida quotidiana.

marcelle disse...

os trabalhadores perderam o direito ao lucro quando passaram a trabalhar para um patrão como empregados e trabalhando com maquinas que era fornecida pelos patroes que ficava com a todo o lucro, com isso provocou um grande deslocamento de pessoas que moravam no campo que foram para as cidades.
2:Graças a essas máquinas, a produção de mercadorias ficou maior e os lucros também cresceram. Vários empresários; então, começaram a investir nas indústrias.

Com tanto avanço, as fábricas começaram a se espalhar pela Inglaterra trazendo várias mudanças. Esse período é chamado pelos historiadores de Revolução Industrial e ela começou na Inglaterra.

A burguesia inglesa era muito rica e durante muitos anos continuou ampliando seus negócios de várias maneiras:

Luiz fernando disse...

A revolução industrial se consistiu em um conjunto de mudanças tecnológicas com profundo impacto no processo produtivo.
Ao longo do processo, a parte agrícola foi ultrapassada pela parte das máquinas.
o trabalho humano foi cada vez sendo mais desvalorizado, e os trabalhadores começaram a trabalhar para um só patrão.

Remerson Antonio disse...

A invenção de máquinas e mecanismos como a lançadeira móvel, a produção de ferro com carvão de coque, a máquina a vapor, a fiandeira mecânica e o tear mecânico causam uma revolução produtiva. Com a aplicação da força motriz às máquinas fabris, a mecanização se difunde na indústria têxtil e na mineração. As fábricas passam a produzir em série e surge a indústria pesada (aço e máquinas). A invenção dos navios e locomotivas a vapor acelera a circulação das mercadorias

Luiz fernando disse...

2) Com a revolução industrial, os produtores perderam o controle do processo produtivo, uma vez q passaram a trabalhar para um patrão perdendo a posse e a matéria prima do produto e do lucro.
Esses trabalhadores passaram a controlar máquinas que pertenciam aos seus donos de produção os quais passaram a receber todos os lucros.

marcelle disse...

A Revolução Industrial trouxe riqueza para os burgueses; porém, os trabalhadores viviam na miséria.

Muitas mulheres e crianças faziam o trabalho pesado e ganhavam muito pouco, a jornada de trabalho variava de 14 a 16 horas diárias para as mulheres, e de 10 a 12 horas por dia para as crianças.

Enquanto os burgueses se reuniam em grandes festas para comemorar os lucros, os trabalhadores chegavam à conclusão que teriam que começar a lutar pelos seus direitos.

O chamado Ludismo, foi uma das primeiras formas de luta dos trabalhadores. O movimento ludita era formado por grupos de trabalhadores que invadiam as fábricas e quebravam as máquinas.

Os ludistas conseguiram algumas vitórias, por exemplo, alguns patrões não reduziram os salários com medo de uma rebelião.

Além do ludismo , surgiram outras organizações operárias, além dos sindicatos e das greves

jhonatas B disse...

2)muitas pessoas que trabalham em grande fabricas trabalham ate 16 horas por dia
e estas pessoas ganham o mesmo que um trabalhador que trabalha 8 horas por dia
e Às vezes essas pessoas que migram para
as grades cidades em busca de um serviços
digno e tem que trabalha nessas fabricas
ganhado o mínimo e não pode falar nada

Remersom celebridade disse...

1na a revoluçao industrial os operários perderam grande partes dos lucros porque passaram a trabalhar para um patrão e com isso passaram a utilisar as maquinas que era fornecida pelos donos das fabricas e com isso seu dinheiro foi caindo e com isso se tanto que eles so tinham o suficiente para se alimentar.
2-as condiçoes das fabricas eram precarias.eram ambientes com pessima iluminaçao,abafados e sujos a revoluçao tornou os metodos de produçao mais eficazes.eram obriagados a trabalhar 18 horas por dia e recibiam um pequeno salario que nao dava pra sustentar sua familia, trabalhavam sem parar nao tinham ferias e nem feriados e trabalhavam ate em finais de semana

Postar um comentário